é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Coluna

Caio Vasconcelos
Publicada em 25/01/2019 às 02h29

Minha Análise - Bahia 7 x 1 Juazeirense

Meus Amigos,

Ontem na FN, num dia histórico para o Bahia, o Tricolor goleou impiedosamente a Juazeirense pelo Campeonato Baiano 2019.

Num jogo cercado de muita expectativa e euforia pela volta de Fernandão, o Bi Brasileiro começou arrasador. Logo aos 5min um dos estreantes da noite abriu o placar. Após boa jogada de Gilberto, Gregore mandou uma bomba que desviou na zaga e foi para escanteio. Na cobrança, Arthur botou a pelota na cabeça de Moisés, que não perdoou. 1x0.

O time não deu nem tempo para o Canção de Fogo respirar. Na jogada seguinte Arthur e Gilberto tiveram a chance de ampliar. E aos 10min, o segundo gol tricolor. Nino foi ao fundo e cruzou. A bola bateu no braço do defensor da Juazeirense. Pênalti, que Gilberto converteu, com categoria. 2x0.

Para os que pensavam que o Bahia iria controlar o jogo, o que se viu foi uma busca frenética pelos gols. Moisés e Guilherme perderam gols incríveis. O time variou bastante as jogadas e posicionamentos, chegando a estar em certo momento num esdrúxulo 325, com Nino, Jackson e LF saindo com a bola. A dupla de volantes se revezou no apoio ao ataque, entrando mais na área, mudando um pouco a característica do time em relação ao ano passado. Além disso, ficou claro que todos estão batalhando uma vaga no time titular, e que os atletas que chegaram elevaram o nível técnico do elenco.

Apesar dessa pressão e dinâmica de jogo em alta rotação, o Bahia não conseguiu ampliar o placar. Fim da primeira parte. 2x0. No intervalo, o nosso camisa 20 foi apresentado e ovacionado pela torcida. O clima de felicidade que já se sentia no aeroporto, transbordou na arquibancada. Fernandão foi recepcionado como se fosse um Imperador Romano que era reverenciado pelos seus súditos após conquistas além da fronteiras do Lácio. Nos olhos de todo o torcedor tricolor o que se via era a esperança de finalmente poder alcançar patamares mais altos nas competições nacionais e internacionais.

Na volta do intervalo, nova avalanche tricolor. 3 gols em 11 minutos e a sensação de uma estrondosa goleada. Arthur, Jackson e Shaylon, que tinha acabado de entrar, marcaram os gols. Bahia 5x0. Como destaque o belíssimo passe de Guilherme, já deslocado para a esquerda, que encontrou o canhoto bom de bola livre dentro da área.

A forca e o ímpeto diminuíram, mas o clube não deixou de atacar. Shaylon mandou uma pedrada que Douglas Pires defendeu. Depois, na cobrança de escanteio do camisa 27, a bola bateu no braço de Jacó e o juiz assinalou pênalti. Claiton pediu para bater, mas Gilberto tomou a bola dele e deu a Guilherme. O camisa 8 bateu com categoria. 6x0. O detalhe do lance é que após o gol Guilherme correu para os jogadores em aquecimento e tomou um bocado de tapa na cabeça, o famoso “nescau”. Já havia ocorrido com Shaylon tb no gol anterior. Parece que o grupo está se enturmando bem e isso é muito bom.

A Juazeirense ainda diminuiu. Num pênalti inexistente, Ewerton conferiu. 6x1.

Mas o Grand Finale ainda estava por vir. Numa boa jogada entre Shaylon e Douglas Boréu, o jovem lateral da base do Bahia foi no fundo e cruzou na medida para Gilberto fechar o caixão. 7x1 para 14mil pessoas que presenciaram essa boa atuação do tricolor.

Douglas – Seguro nas poucas vezes que trabalhou.
Nino – Ainda abaixo dos demais. Sem a força de outros tempos, pecou muito na construção das jogadas pelo léu lado.
Jackson – Seguro nas poucas vezes que participou. Fez um gol importante para ele.
LF – Partida discreta e segura do capitão tricolor.
Moisés – Muito mais adiantado que Nino, teve boa participação.
Gregore – Saiu mais para o jogo, arriscando chutes a gol.
Flávio – Pouco produziu. Poderia ter chutado mais vezes.
Guilherme – Atuação ainda abaixo do que pode render, mas já apresentou mais mobilidade. Quando foi para o lado esquerdo, passou a achar mais os passes e contribuiu para o gol de Shaylon. Qualidade com a bola tem.
Rogério – O pior da partida. Lento, disperso, não foi efetivo como se esperava dele.
Arthur – Mais uma vez esteve bem. Rápido, bom drible boa finalização.
Gilberto – Fez uma boa partida, com mais mobilidade. Marcou 2 gols, um deles de centroavante.
Douglas Boréu - Estreia para deixar os torcedores ansiosos. Precisa joga mais vezes para a torcida admirar seu futebol.
Claiton – Entrou e pouco produziu.
Shaylon – Deu nova dinâmica ao meio, com mais chutes e mais passes verticais. Fez um belo gol. Foi um dos melhores da noite. Briga por uma vaga no time titular.
EM – Coragem para lançar um moleque de 16 anos, competência para envolver todos num mesmo caminho.

OBS: a análise dos 2 primeiros jogos não puderam ser realizadas pois não assisti os jogos na íntegra.

Outras colunas
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.